terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Pague menos LUZ [DECO - paguemenosluz.pt]


Quer saber como pagar menos de luz?
Registe-se nesta iniciativa da DECO!
De uma forma simples, a DECO vai convidar os fornecedores de eletricidade a oferecerem a sua tarifa mais baixa, ou seja, uma espécie de leilão. 
Ninguém é obrigado a mudar de fornecedor apenas por ter procedido à inscrição no leilão, como tal não custa tentar.
Fonte: paguemenosluz

6 comentários:

Anónimo disse...

Duvido se após o leilão,promovido pela DECO, os aderentes não passam automáticamente para as mãos do fornecedor que ganhar o dito leilão. Um leilão implica duas partes uma que oferece e outra que arremata, como pode a DECO fazer um leilão sem ter algo para "oferecer" a não ser "intenções" dos consumidores? Alerta, leiam bem as condições gerais da DECO e depois decidam. A DECO é bem explicita que não tem nenhuma responsabilidade naquilo que venha a acontecer...

António Alves disse...

Basta ler na página paguemenoluz as FAQ's, para saber como funciona.

Se me inscrever, tenho obrigatoriamente de mudar de fornecedor?
Não. Ninguém é obrigado a mudar de fornecedor apenas por ter procedido à inscrição no leilão. A partir do momento em que chegarmos a acordo com um fornecedor de energia, e desde que tenha preenchido os dados sobre a sua fatura atual, entraremos em contacto consigo para lhe apresentar a estimativa personalizada da sua poupança com base na proposta do fornecedor vencedor. Compete-lhe a si decidir se quer ou não mudar.

Voltar ao topo
Todos vão realmente poupar na fatura da eletricidade?
As poupanças serão tanto mais reais quanto mais fidedignos forem os dados de consumo fornecidos pelo consumidor, mas o nosso objetivo é obter a oferta mais baixa do mercado, para que cada um tenha acesso a uma oportunidade vantajosa. Lembre-se de que não é obrigado a optar pelo acordo que nós concluirmos

Anónimo disse...

Posso por exemplo mudar de entidade facturadora ( tipo emesa), sem me sujeitar a um periudo de fidelização?

Pedro Moura disse...

Tudo depende da proposta que lhe fizerem, sendo que a DECO não gosta muito de fidelizações, ou seja, é provável que a proposta não implique fidelização.

Florinda Ferreira disse...

A propósito de electricidade e a que preço, deixo aqui o inédito...
EDP no seu melhor


Suponhamos um bom serviço da EDP, o nosso principal fornecedor de electricidade e a que preço


Como proprietários de um prédio construído em 2011, deparámo-nos que no dia 29 de Abril ficámos sem electricidade em casa a partir das 16:47, de inicio pensámos numa avaria, num curto-circuito, etc…., chamamos o electricista que acompanhou a obra para verificar a situação, mas afinal não era avaria, o corte de energia, deveu-se à falta do contador.

Identificada a causa da avaria pelo electricista, que afinal era, repito, apenas a falta do contador, contactámos a EDP por volta das 22:00 sobre a causa do levantamento do equipamento, a EDP confirmou que não havia qualquer registo de avaria/corte/intervenção para o local.

Então só nos restou uma ilação, verificou-se um furto, inédito, mas um furto, e mais inédito, o ladrão, depois de chamadas as autoridades, até deu a cara, mas não tem meios de comprovar que empresa lhe encomendou o lindo serviço, porque afinal o serviço seria noutro local que o profissional competente ou não, Sr. Rui Santos da Visabeira, nem se deu ao trabalho de verificar e decidiu sem averiguar se o contador estava a funcionar e portanto a consumir energia, e sem sequer questionar quando e como seria reposto o novo contador, logo de forma irresponsável e leviana deixou uma habitação cliente da EDP, com a sua conta corrente devidamente regularizada, sem abastecimento eléctrico, o que se traduziu na impossibilidade de utilização de água quente para os banhos, da utilização da placa eléctrica para fazer o jantar, etc…., o que implicou a deslocação a um restaurante para proporcionar uma refeição quente aos 2 clientes adultos e 2 clientes ainda crianças, mas todos cumpridores com a EDP, além do desagradável e triste transtorno causado por toda esta incompetência.

Mas afinal quem devemos responsabilizar?

Contactadas as duas empresas ambas, no seu melhor se desculparam mutuamente, a EDP insiste que não enviou qualquer Ordem de Serviço para a Visabeira, e por sua vez, a Visabeira confirma o recebimento, mas, quando lhes é solicitado a apresentação da mesma, a Ordem não existe ou simplesmente ninguém tem autoridade suficiente para mostrá-la. Ao que parece esta Ordem de Serviço que a EDP supostamente enviou à Visabeira, e digamos supostamente porque a EDP desmente a mesma, para levantamento de um contador que supostamente seria de obras, mas que afinal também não era, porque a substituição dos equipamentos já tinha acontecido em Janeiro de 2012, data em que o contrato passou de provisório a definitivo com a EDP, o principal fornecedor da nossa energia eléctrica e a que preço….


Paulo Sousa disse...

É um caso complicado, mas é um erro de uma pessoa/entidade que alguém terá de assumir.
Não devemos confundir estas situações com o dia a dia de uma empresa que tem milhões de clientes.
Na minha opinião, pode por um processo à entidade que lhe retirou o contador e essa empresa é que terá de provar em tribunal que foi a pedido da EDP.
A culpa não deve morrer solteira...